sábado, 12 de maio de 2012

Multimídia

Pelo coletivo do cinema


Foto:Deise Carneiro
CUAL filmando o curta Caminho Mais Próximo de Casa
“Está nos manuais mais básicos... Cinema é coletivo”. Era um final de tarde de domingo. Estava batendo um papo com uma galera jovem que faz cinema aqui em Salvador e não abre mão do conceito de coletividade. “Cinema é coletivo”, disse Ramon Coutinho, um desses jovens formados pelo BI de Artes da UFBA.


É verdade. Todo mundo sabe, principalmente aqueles que são do meio, que cinema é coletivo, afinal, envolve um complexo trabalho em equipe. Mas nem todos pensam assim ou evidenciam esse fato. Inclusive, aqueles que são do meio. Fincam-se os nomes, mas não se exalta a coletividade. O CUAL – Coletivo Urgente de Audiovisual – é um desses grupos que vão na contramão dessa incongruência. 


O Coletivo já é coletivo pelo nome. Foi formado há cerca de um ano e reúne estudantes de cinema, audiovisual e composição que tem um interesse, uma vontade em comum: fazer, produzir e fomentar a sétima arte. E em um ano, muita coisa já foi feita. Muitos filmes, mesmo com recursos mínimos. Um deles, intitulado Fake-Me, foi premiado na última edição do Festival de Cinema Universitário da Bahia, que aconteceu em março.   


Foto: Divulgação/CUAL
Nos primórdios, em 2010, quando a ideia se concretizava




O grupo é formado por Álvaro Andrade, Bianca Muniz, Bruno Guimarães, Danilo Umbelino, Deise Valente, Francisco Gabriel Almeida, Luan Santana Marques, Marcus Curvelo e Ramon Coutinho. Os jovens já promovem uma mostra de curtas no espaço Solar Boa Vista, bairro de Brotas, em Salvador. Inclusive, no próximo dia 18, sexta-feira, vai rolar mais uma mostra CUAL e, na ocasião, será comemorado um ano de existência do Coletivo.


Realizamos um bate-papo com quatro dos oito integrantes do CUAL. Nesta primeira parte da entrevista, fica evidente a vontade de fazer filmes desses jovens. Mais do que isso, fica evidente a vontade cooperar em prol da produção cinematográfica. Talvez, faltem, ao nosso cinema, mais iniciativas como essas. 


Confira a primeira parte da entrevista e conheça um pouco do CUAL



Nenhum comentário:

Postar um comentário