quinta-feira, 31 de maio de 2012

Homenagem a um visionário

Antes de Glauber Rocha, a Bahia tinha Roberto Pires, um precursor do cinema no nosso Estado. O próprio Glauber dizia que, se o cinema na Bahia não existisse, Roberto Pires o teria inventado. O Instituto Memória Roberto Pires foi criado por iniciativa de um de seus filhos, Petrus Pires, que quer preservar a memória do pai, morto em 2001.

Agora, quem presta homenagem ao visionário cineasta é a Associação Baiana de Imprensa (ABI), que inaugura, em sua sede, a Sala Roberto Pires, um espaço voltado para exibir e debater cinema. A inauguração será neste sábado, dia 2 de junho, às 15h. Será exibido o filme Abrigo Nuclear (1982), de Roberto Pires, uma das poucas ficções científicas produzidas no Brasil.

Após a exibição, haverá um bate-papo com o cineasta André Luiz de Oliveira. Esse é o início de uma série de diálogos sobre cinema, que contarão com a exibição de filmes e conversas com cineastas, jornalistas e críticos de cinema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário