sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Jovens realizadores serão únicos representantes da América Latina no projeto Microgrant em Cannes

Carlos Baumgarten
Fotos: Roberta Sant´Anna

A Avante Filmes é uma produtora gaúcha, sediada em Porto Alegre, formada por jovens profissionais do audiovisual. Reune o produtor Caio Sehbe, os diretores Filipe Matzembacher e Márcio Reolon, o fotógrafo João Gabriel de Queiroz e o montador e finalizador Samuel Telles, que trabalham juntos desde 2009.

As produções da Avante buscam uma conciliação entre o comercial e o artístico, abordando temas como juventude, sexualidade e educação, conforme definição de seus idealizadores.

O edital Microgrant é uma iniciativa da Real Idea Studios, organização que apoia o lançamento de realizadores ao redor do mundo. Além de distribuir as produções no Festival de Cinema de Slamdance (uma espécie de “concorrente” de Sundance), proporciona a participação de cineastas no prestigiado Festival de Cannes.

A iniciativa busca reunir curtas-metragens documentais com visões de diretores de diversas nacionalidades sobre um único tema, formando um longa-metragem.

O que a Avante e o Microgrant têm em comum? Sim. Os realizadores gaúchos foram selecionados pelo edital, sendo os únicos representantes da América Latina no projeto e possuindo o único curta não falado em língua inglesa. My Other, dirigido por Filipe Matzembacher e Márcio Reolon, será apresentado junto com outros 10 curtas no Festival de Cannes, que acontece entre 16 e 27 de maio.

Cena de My Other, dirigido por Filipe Matzembacher
e Márcio Reolon


Nesta entrevista concedida ao Nicotina Cafeína e Cinema, os cineastas falam um pouco sobre o projeto, rodado em três diárias. É a primeira vez que a Avante Filmes inscreve um projeto no edital Microgrant. Os jovens gaúchos possuem uma experiência consolidada no mercado audiovisual, participando de festivais e mostras nacionais e internacionais, o que justifica o êxito da dupla.

Os dois cineastas começaram a carreira nos palcos de teatro, somando experiências atuais nos segmentos de dramaturgia e direção. Ambos produzem o CLOSE (Festival Nacional de Cinema da Diversidade Sexual). Este ano, Filipe e Márcio vão dirigir o primeiro longa-metragem produzido pela Avante Filmes. Confira essas e outras informações na entrevista abaixo:

Os diretores Filipe Matzembacher (à esquerda) e Márcio Reolon


Nicotina, Cafeína e Cinema - De início, uma pergunta básica: qual o sentimento de ser o único representante da América Latina e a única produção não falada em inglês no Microgrant?

Filipe Matzembacher e Márcio Reolon - É muito bacana estarmos representando a América Latina no projeto. Quando recebemos a notícia, esperamos alguns dias para divulgar, para termos certeza de que havíamos sido selecionados. Estamos realmente extasiados e esperando o momento de projetar o filme no festival.

N2C - Qual a abordagem “do outro dentro de nossa sociedade” a partir do segmento de vocês?

FM e MR - Ao recebermos este direcionamento "o outro em sua sociedade" pensamos diretamente: quem é o outro em nossa sociedade? Vieram diversos grupos sociais e indivíduos. O outro parte muito de uma relação com os demais. Chegamos, primeiramente, na comunidade LGBT, e pensamos em ir mais fundo, explorar os subgrupos dentro deste grupo. Percebemos que, após muita pesquisa, existe uma divisão muito grande entre faixas etárias neste universo, que separam realmente as pessoas. Uma falta de reconhecimento e, de certo modo, preconceito dos mais novos com os mais velhos, que acabam retribuindo na mesma moeda. Decidimos abordar esse diálogo entre gerações, dentro de um grupo já excluído da sociedade.
  
N2C - Vocês falam de um ensaio poético e visual sobre as diferentes visões que separam as gerações. Como essas gerações são ou estão separadas?  

FM e MR - São separadas pelos grupos de convívio, por lugares que frequentam e, muitas vezes, por termos que se aproximam,ou até mesmo se tratam, de apelidos maldosos. Há uma falta de diálogo e identificação entre esses dois grupos e eles não percebem que estão diretamente ligados e lutando pelos mesmos direitos.

"Ao recebermos este direcionamento 'o outro em sua sociedade' pensamos diretamente: quem é o outro em nossa sociedade? Decidimos abordar esse diálogo entre gerações, dentro de um grupo já excluído da sociedade"


N2C - Como se deu o processo de criação? O que o público pode esperar desse trabalho?

FM e MR - O filme foi rodado em três diárias e trabalhamos através de um olhar lúdico sobre o tema. Os protagonistas do filme, um jovem bailarino e um ator de 50 anos, recriam uma dança, remetendo a ação e reação desses grupos. As pessoas podem esperar um documentário nada convencional, pois ele abusa de elementos narrativos ficcionais e de uma imagem muito trabalhada.

N2C – Já haviam inscritos outros projetos no Microgrant?

FM e MR - Não. Está é a primeira vez que inscrevemos um projeto no Microgrant.


N2C – O projeto será incluído em um produto maior, correto?

FM e MR - Sim, o projeto fará parte de um longa, que será distribuido pela Real Idea e por Cannes. São onze curtas no total, gerando o longa-metragem.

N2C -  As gerações do cinema, assim como a técnica, renovam-se ao longo dos anos. Muito se fala, nos dias de hoje, em “crise da linguagem cinematográfica”. Na visão de vocês, essa crise existe? Existe alguma diferença entre a antiga geração e a nova geração da sétima arte?

FM e MR - Bom, particularmente, acreditamos que esse sentimento de nostalgia é muito pobre, quando é utilizado em comparação com novas tecnologias, novos anos, etc. Nós, da Avante, não vemos um retrocesso, e sim um avanço. Hoje, mais e mais artistas conseguem se expressar, e isso, com certeza, é uma evolução. Antigamente, os artistas criavam de maneira diferente, pois o universo cinematográfico era uma página em branco, diferente de hoje. Contudo, acreditamos que há uma evolução gradual e uma expansão nas possibilidades de se fazer cinema.

N2C -  E para o futuro? O que podemos esperar da Avante?

FM e MR - Estamos trabalhando no primeiro longa-metragem inteiramente produzidos pela empresa, que se chamará Beira-Mar e será rodado ainda este ano. O filme será dirigido pela duplinha do My Other e fala sobre juventude e amadurecimento. Em nosso site já temos informações sobre o longa-metragem. Continuamos também produzindo o CLOSE (Festival Nacional de Cinema da Diversidade Sexual), além do canal de humor Não No Meu Turno. Pretendemos, este ano ainda, realizarmos mais algumas produções no formato de curta-metragem ficcional e documentário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário