sábado, 18 de junho de 2011

Crítica: Kung Fu Panda 2

Animação busca gancho para não cair em repetição
Carlos Baumgarten

Kung Fu Panda foi um grande sucesso em 2008. Trazendo a história de um urso panda, filho de um ganso (?), louco por kung fu, que acaba sendo revelado como o Dragão Guerreiro da China. Nesse primeiro filme, não temos nenhuma referência à origem do urso panda. As atenções estão todas voltadas para o seu processo de aprendizado até a conquista do respeito dos cinco furiosos.

Kung Fu Panda 2, em cartaz no cinema desde a semana passada, deveria buscar uma saída para não cair na repetição ou monotonia. Então, os roteiristas não deixaram passar em branco a origem da simpática personagem. Descobrimos, assim, como um urso panda passou a ser filho de um ganso. Paralelamente, Po e os cinco furiosos vão lutar contra um poderoso inimigo que quer extinguir o kung fu da China.

Apoiado no típico humor de animação, Kung Fu Panda 2 é um deleite para a criançada. Cenas bem elaboradas, agitado, engraçado e com uma mensagem positiva. Para os pais, está a aposta de não cair na fórmula repetitiva de muitas franquias norte-americanas, especialmente aquelas voltadas para o público infantil.

No elenco de vozes original, estão astros como Jack Black, Angelina Jolie e Jackie Chan. Na versão dublada, em português, temos o ator Lucio Mauro Filho, que tem um ótimo desempenho na animação (muito diferente de Luciano Huck em Enrolados, que destoou completamente da personagem). Lúcio Mauro já havia emprestado a sua voz na primeira versão, que contava também com a atriz Juliana Paes para a voz do Tigresa (na franquia, ela não repetiu a dose).

O ritmo de Kung Fu Panda 2 é até menor do que o primeiro. A animação não se prende apenas no humor, fazendo paralelos que focam no sentimentalismo, passando por leves toques de drama. Mas, nada para cair no choro. Nessa sequência, foi explorada, por mais tempo, a animação tradicional em 2D. Os animadores e a diretora Jennifer Yuh se apóiam nessa variação de linguagem para representar o presente e as lembranças do urso panda.

A animação em 3D (inclusive, produzida para salas de cinema com recursos de terceira dimensão) é, mais uma vez, cuidadosamente desenvolvida. Então, aos pais que tenham interesse, Kung Fu Panda 2 não será uma monotonia repetitiva. É um programa satisfatório para toda a família. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário