quarta-feira, 30 de março de 2011

Webdoc com Jorge Bodanzky no É Tudo Verdade

Redação


O documentarista Jorge Bodanzky, diretor de filmes como Iracema: Uma Transa Amazônica (1976), vai ministrar um workshop sobre webdocumentários. O evento acontece em São Paulo, nos dias 1 e 2 de abril, e está incluído na programação do festival É Tudo Verdade, que começa amanhã.

O workshop é gratuito será realizado no audutório da Livraria Cultura, no Bourbon Shopping, na capital paulistana, das 15h às 18h. As inscrições devem ser feitas pelo e-mail: oficinawebdoc@etudoverdade.com.br. O participante deve levar uma câmera de vídeo, de qualquer formato, para participar de exercícios.

Outras informações no site: www.etudoverdade.com.br.

terça-feira, 29 de março de 2011

Confira a programação do Cine Nostalgia para o mês de abril

Dia 31 às 15:00 filme " A PRINCESA DO ELDORADO  ano - 1938 ( USA ).
Atores - Nelson Eddy e Jeanette Mac'Donald.
Diretor - Robert Z. Leonardis. - Suspense - 12 anos - 87mim.
 
Dia 01 às 15:00 filme " A CORTINA DE FERRO " ano  -  1948 ( USA ).
Atores - Dana Andrews, Gene Tierney e June Havoc.
Diretor - William Wellman. - Musical - livre - 132 mim.
 
Dia 02 às 15:30 filme " ERA UMA VEZ HOLLYWOOD VOL - I " ano - 1974 ( USA ).
Dia 03 às 16:00 ( o mesmo filme ).
Atores - Alice Faye, James Ounns, Frank Mitchel e Jack Durant.
Diretor - George Marshall.
 
Dia 07 às 15:00 filme A GRANDE ILUSÃO - 1949 ( USA ) 03 OSCAR
Atores - Sean Penn e Judy LAw.
Diretor - Steven Zaillian - Drama - 12 anos - 128 mim.
 
Dia 08 às 15:00 filme " ALMAS EM CHAMAS " ano - 1949 ( USA ) - 02 OSCAR.
Atores - Gregory Peck, Hugn Marlowe e Gary Merril.
Diretor - Henry King - Guerra - Livre - 132 mim.
 
Dia 09 às 15:00 filme " MADAME  X " ano - 1966 ( USA ).
Dia 10 às 16:00 ( o mesmo filme ).
Atores - Lana Turne,John Forsythe, Ricardo MOntalben e Constance Bennet.
Diretor - David Loweli Rich - Drama -  12 anos - 100mim.
 
Dia 14 às 15:00 filme " TAVERNA MALDITA " ano - 1995 ( USA ).
Atores - Jack Webb, Janet Leigh, Edmond O'Brien, Lee Marvin e Ella Fitzgeral.
Diretor - Jack Webb - Policial - 12 anos - 96 mim.
 
Dia 15 às 15:00 filme " O JARDIM DO PECADO " ano - 1954 ( USA ). 
Atores - Gary Cooper, Susan Hayword e Richard Widmark
Diretor - Henry Hathaway - Faroerste - 12 anos - 100 mim.
 
Dia 16 às 15:30 filme " PANDORA " ano - 1951 ( INGLATERRA / USA ).
Dia 17 às 16>00 ( o mesmo flme ).
Atores - Ava Gardner, James Mason e Nigel Patrick.
Diretor - Albert Lewin - Drama - 116 anos - 123 mim.
 
Dia 21 às 15:00 filme  " ESSA LOURA VALE UM MILHÃO " ano -1960 ( USA ).
Atores - Judy HOlliday, Dean Martin, Fre Clark e Jean Stapleton.
Diretor - Vincent Minelli - Comédia - Livre - 1256 mim.
 
Dia 22 às 15:00 filme " AS SANDÁLIAS DO PESCADOR " ano - 1968 ( USA ).
Atores - Antony Queen, Oskar Werner, David Jansen, Vittorio de Sica e Lawrence Olivier.
Diretor - Michael Anderson - Drtama - Livre - 161 mim.
 
Dia 23 às 15:30 filme " UMA CRUZ À BEIRA DO ABISMO " ano - 1959 ( USA ). 
Dia 24 às 16:00 ( o mesmo filme ).
Atores - Aldrey Hepburn, Peter Finch, Dame Edith Evans e Dean Jagger.
Diretor - Fred Zinnemann, - Drama - 12 anos - 151 mim.
 
Dia 28 às 15:00 filme " ALMAS EM LEILÃO " ano - 1958 ( INGLATERRA ).
Atores - Simone Signort, Lawrence Harvey , Heather Seers
Diretor - Jack Clayton - Drama - 12 anos - 115 mim.
 
Dia 29 às 15:00 filme " O HOMEM QUE MATOU O FACÍNORA " ano -1962 ( USA 0.
Atores - James Stewart, John Wayne, Lee Marvin e Vera MIles.
Diretor - John Ford - Faroeste - 12 anos - 123 mim.
 
Dia 30 às 15:00 filme " MALDIÇÃO " ano - 1950 ( USA ). 
Atores - Louis Hayword, Lee Bowman e Jane Wyatt.
Diretor - Fritz Lange - Drama  - 12 anos - 88 mim.

segunda-feira, 28 de março de 2011

Festival É Tudo Verdade começa no dia 31

Redação


Contagem regressiva para o mais importante festival de documentários da América do Sul. É Tudo Verdade, evento criado pelo crítico Amir Labaki, em 1996, chega à sua 16ª edição e acontece, simultaneamente, no Rio de Janeiro e em São Paulo, entre os dias 31 de março e 10 de abril.

O evento reúne, anualmente, cerca de uma centena de obras não-ficcionais brasileiras e internacionais, entre lançamentos e clássicos. Mais informações: www.itsalltrue.com.br.

sexta-feira, 25 de março de 2011

VIPs é uma das estreias da semana*

Carlos Baumgarten


Wagner Moura retorna aos cinemas interpretando um golpista. Marcelo, o protagonista de VIPs, lembra muito o Frank do filme de Steven Spielberg, Prenda-me Se For Capaz (2002). Ambos vivem de golpes e de passar por cima dos outros para se dar bem. A diferença é que Marcelo parece não ter uma identidade própria, adotando nomes e comportamentos diversos a cada “trabalho”. VIPs, dirigido por Toniko Melo, é uma das estreias desta sexta-feira.

Os cinemas estarão recheados com mais um filme da franquia Atividade Paranormal. Acrescentando o nome “Tóquio” ao título, subentende-se que o “cão” vai atacar na capital japonesa. O grande problema dos produtores ambiciosos é não querer parar no auge, mas esperar afundar e cair no esquecimento do público. É o que está acontecendo com Atividade Paranormal, que fez um estrondoso sucesso com o primeiro filme, em 2009, e agora está partindo para as fórmulas prontas e, cansativamente, repetidas.

O longa britânico O Retrato de Dorian Gray, que traz Colin Firth no elenco, antes do estrondoso O Discurso Do Rei, é uma história surreal de um homem que mantém uma beleza jovial eternamente. Porém, sua conduta de caráter duvidoso e o passar real do tempo fazem o seu retrato envelhecer sobrenaturalmente. À medida que ele avança em seus esquemas, o retrato vai se transformando em um monstro. Esse filme, você pode conferir nos cinemas a partir de hoje.

Infidelidade é o tema central da produção ítalo-suíça Que Mais Posso Querer, outra estreia desta sexta-feira. Com um casamento aparentemente estável e visivelmente rotineiro, a vida de Ana dá uma reviravolta ao conhecer Domenico, um colega de trabalho, também casado. Os dois passam e iniciam um fogoso relacionamento.  

Robert De Niro e Bradley Cooper estrelam o suspense Sem Limites. Cooper interpreta um jovem escritor que começa a tomar pílulas NZT, uma nova droga capaz de aumentar em muito a sua capacidade cerebral. Rapidamente, ele obtém sucesso financeiro e social. Entretanto, a verdade por trás do produto vai trazer uma mudança radical nessa realidade.

O diretor do novo Superman, Zack Snyder, é o diretor da fantasia épica Sucker Punch: Mundo Surreal, que fecha as estreias desta semana. A garota Baby Doll é internada em uma instituição mental pelo padrasto, onde passará por uma lobotomia durante cinco dias. Fantasiando como em uma espécie de O Labirinto do Fauno (2007), a garota fica à espera do dia, criando um mundo alternativo, no qual precisa roubar cinco objetos para fugir de um homem que pretende estuprá-la.

*As estreias não acontecem, necessariamente, em todas as cidades. Confira as sessões em sua localidade, pois alguns dos lançamentos podem ser exibidos posteriormente nos cinemas próximos a você. A certeza é que estreias estarão disponíveis. Escolha a que for mais apropriada ao seu gosto e tenha um bom filme! Não esqueça de desligar o celular...

quinta-feira, 24 de março de 2011

A mulher que vale mais de US$ 1 milhão

Carlos Baumgarten


O cinema despediu-se ontem de uma de suas grandes estrelas. Elizabeth Taylor morreu nesta quarta-feira, 23, em Los Angeles, aos 79 anos, vítima de insuficiência cardíaca congestiva. Nas últimas aparições em público, Taylor já dava sinais da saúde debilitada. Críticos e estudiosos do cinema apontam a morte da atriz como o fim da era de ouro do cinema de Hollywood.

Para o crítico da Folha de São Paulo, Pedro Butcher, por exemplo, Elizabeth Taylor enquadra-se ao lado de estrelas como Audrey Hepburn e Marilyn Monroe, grandes nomes da chamada época de ouro hollywoodiana. Já Ricardo Calil destacou que fama e beleza escondiam a grande atriz que era Taylor. E, como não podia deixar de ser, o melodrama também fazia parte de sua vida real, conforme colocou o crítico André Barcinsky, diante das polêmicas e inúmeros casamentos.

Dona de uma beleza peculiar, com os seus olhos cor de violeta, Elizabeth Taylor começou a carreira cedo, aos nove anos de idade. Seu primeiro papel de destaque, ainda aos 12 anos, foi no filme A Mocidade é Assim Mesmo, de 1944. O mundo começava a ver nascer uma estrela, que mais tarde seria contemplada com dois Oscars, de um total de cinco indicações.

O primeiro Oscar veio com Disque Butterfield 8, em 1961. Em 1967, no longo ápice de sua carreira, ela recebe o segundo Oscar, dessa vez por sua performance no clássico Quem Tem Medo de Virginia Wolf?.   

Como apontou o crítico Ricardo Calil, a beleza da atriz acabou sendo uma espécie de dificuldade, logo no princípio de sua carreira. Quando fez os testes para There´s One Born Every Minute, de 1942, os executivos da Universal Pictures ficaram encantados com os seus olhos cor de violeta. Mas a fissura pela beleza física ofuscou o talento e, com a não aprovação do público, o contrato de Elizabeth Taylor foi revogado pela Universal.

A MGM resolveu lhe dar outra chance em A Mocidade é Assim e, dessa forma, sua carreira começou a seguir os passos do sucesso. Sucesso esse que rendeu a Elizabeth Taylor o posto de primeira mulher a receber um cachê de US$ 1 milhão pela participação em um filme. O filme em questão é Cleópatra (1963), no qual ela interpreta a personagem título.

 Um investimento alto para um filme abaixo da média, porém o feito de Taylor abriu portas para as atrizes hollywoodianas, em termos financeiros, afinal, se compararmos hoje, um cachê de uma atriz como Julia Roberts não fica abaixo dos sete zero.  

Nos anos 80 e 90, a carreira de Elizabeth Taylor já não estava mais no ápice, mas estrela continuava brilhando, mesmo em participações em filmes como Os Flinstones (1995). Seu nome, porém, continuava sendo marca registrada de Hollywood.

Do lado de fora, nove casamentos e ativismo por diversas causas, inclusive no apoio ao combate à AIDS. Defendeu o amigo Michael Jackson quando o mesmo foi acusado de pedofilia e gerou revolta por muitas parcelas da sociedade. Uma igreja de fundamentalistas, inclusive, está conclamando um protesto no dia do funeral da atriz, por ela defender as causas homossexuais.

Elizabeth Taylor, ao morrer, deixa um enorme legado. Ela não vai ser lembrada como a primeira atriz que conquistou um cachê de US$ 1 milhão, mas sim como uma profissional intuitiva, já que nunca teve um aprendizado formal em artes cênicas, que fez brilhar a estrela e ajudou a construir a era de ouro do cinema de Hollywood. 

segunda-feira, 21 de março de 2011

Filmes brasileiros são premiados em Punta Del Este

Redação


Tropa de Elite 2 e Diário de Uma Busca, produções nacionais lançadas em 2010, foram premiados no 14º Festival Internacional de Cinema de Punta Del Este, no Uruguai, realizado entre os dias 13 e 20 de março. O filme de José Padilha foi escolhido por votação popular. Já Diário de Uma Busca foi premiado na categoria melhor filme pela seleção do Júri d Crítica.

Tropa de Elite 2 foi o longa-metragem de maior sucesso de bilheteria de todos os tempos no Brasil e, como já é conhecido, acompanha os passos do famoso Capitão Nascimento, agora atuando como subsecretário de segurança pública do Rio de Janeiro. Diário de Uma Busca é uma produção de Flavia Castro que traz o seu testemunho sobre seu pai, Celso A. Castro, militante esquerdista assassinado durante a ditadura militar. 

De acordo com a Folha, Padilha vai dirigir Robocop

Redação


O portal Folha On Line confirmou que o diretor brasileiro José Padilha vai dirigir o remake de Robocop, bancado pela MGM. O nome de Padilha estaria sendo sondado após os executivos do estúdio conferirem Tropa de Elite e teriam ficado impressionados com o trabalho. 


O cineasta tem um talento comprovado, tanto como diretor, quanto como roteirista. Ele terá nas mãos a responsabilidade de "ressuscitar" uma franquia que carrega inúmeros fãs ao redor do mundo, e virou um clássico moderno, ao ser lançado em 1987. 


Apesar de termos uma péssima lembrança com Robocop 3 (1992), que parece mais um Jaspion americanizado, a história do policial do futuro não gira em torno de fantasia ou super-heroísmo. Claro, é uma ficção, mas tem uma crítica pesada ao sistema imposto, coisa que Padilha soube ilustrar muito bem nos dois Tropa de Elite. 


A MGM deixará um roteirista à disposição de Padilha para trabalhar no projeto. Agora, é esperar para ver o resultado dessa experiência.  

sexta-feira, 11 de março de 2011

Terra de Glauber Rocha sedia semana de audiovisual

Redação

A genialidade do cineasta Glauber Rocha, oriunda de sua terra natal, Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia, há quatro anos ganha destaque com a Semana Glauber. Este ano, o evento será acompanhado de um paralelo: a I Semana do Audiovisual de Vitória da Conquista. Os eventos acontecem entre os dias 14 e 18 de março, em diversos pontos da cidade. As inscrições já podem ser feitas a partir de hoje, na sede do programa Janela Indiscreta ou na Secretária de Cultura. Informações pelo telefone: 77 3421-2157.

Nada mais justo do que homenagear o pai do Cinema Novo em sua cidade natal. A programação inclui mesas redondas, exibições de filmes, oficinas e mostras temáticas. Entre os convidados, professores da Uesb, diretores e produtores do cenário audiovisual nacional, além da participação de representantes do Clube de Cinema Fora do Eixo e da Associação Baiana de Cinema e Vídeo (ABCV). A abertura acontece no dia 14, a partir das 19h, na Câmara de Vereadores do Município.

A programação completa do evento pode ser conferida no site da Uesb: www.uesb.br

Inscrições abertas para Festival Internacional de Filmes Curtíssimos

Redação


Até o dia 1º de abril, obras audiovisuais finalizadas em qualquer formato ou data podem se inscrever na 4ª edição do Festival Internacional de Filmes Curtíssimos. Os filmes devem ter no máximo 3 minutos de duração, sem contar os créditos, e não podem ter participado das edições anteriores do festival. A inscrição é gratuita e deve ser realizada no site do festival: www.filmescurtissimos.com.br.

O evento acontecerá em Brasília, no Museu Nacional da República, entre os dias 6 e 8 de maio. Após o preenchimento do formulário via internet, o material deverá ser enviado pelo correio, até o dia 1º de abril, para a produção do evento, no endereço Espaço Cultural Renato Russo, 508 Sul Bloco A – CEP: 70.351-580. A postagem deve ser feita aos cuidados do Festival Internacional de Filmes Curtíssimos.

Os selecionados serão divulgados até o dia 15 de abril. 

Comédia dos irmãos Farrelly, remake e melhor filme estrangeiro no Oscar estão entre as estreias da semana*

Carlos Baumgarten


Os irmãos Bobby e Peter Farrely são especialistas em um tipo de comédia peculiar. Exploram o pior lado da nossa natureza, mas sem perder de vista o elemento humano. É só ver trabalhos como Quem Vai Ficar Com Mary, Ligado em Você e O Amor é Cego. Agora, eles voltam no longa Passe Livre, que conta a história de dois amigos portadores de um “passe livre” para a infidelidade, oferecidos pelas próprias esposas. A comédia é uma das estreias da semana.

Após o sucesso de Bravura Indômita, outro remake chega às telas nesta sexta-feira. Doce Vingança, releitura do clássico de 1979, intitulado A Vingança de Jennifer, narra a história de uma escritora que, após ser vítima de um estupro, busca vingança contra os seus agressores. Quando lançado, A Vingança de Jennifer causou uma enorme polêmica pela temática tratada. Três décadas depois, pode ser que a narrativa não cause tamanho impacto.

O vencedor do Oscar de melhor filme estrangeiro deste ano, Em Um Mundo Melhor, poderá ser conferido também a partir deste fim de semana. O enredo gira em torno de um médico humanitário sueco que luta para salvar mulheres de uma gangue tribal na África. Enquanto isso, a sua família, na Dinamarca, sofre outros tipos de agressão. Apesar de ser uma co-produção entre Suécia e Dinamarca, o primeiro País ficou com o crédito da premiação.  

Mistério da Rua 7, outra estreia da semana, é um suspense desenvolvido na escuridão. Após um misterioso blecaute em Detroit, a população da cidade desaparece repentinamente. Apenas quatro pessoas resistem, com focos de luz particulares, e lutam para não serem engolidos pela escuridão.

Corpos Celestes, produção brasileira dirigida por Marcos Jorge e Fernando Severo, conta a história de um astrônomo que dedicou sua vida ao trabalho e deixou de lado a sua vida pessoal.

O documentário indicado ao Oscar, Restrepo, acompanha um ano de um pelotão do exército dos Estados Unidos em um perigoso terreno do Afeganistão, cercado por talibãs. Temática ultrapassada do cinema norte-americano, mas que Hollywood continua reconhecendo como produções “fora do comum”.

A animação da Nickelodeon, Rango, dirigida por Gore Verbinski (responsável pelos três primeiros filmes da franquia Piratas do Caribe) mostra como um camaleão doméstico luta para sobreviver após cair de um carro no meio do deserto de Mojave. Depois do acidente, ele vai parar em uma cidade do velho oeste, que sofre com a falta d´água, e tem dificuldades em se adaptar a essa realidade.

*As estreias não acontecem, necessariamente, em todas as cidades. Confira as sessões em sua localidade, pois alguns dos lançamentos podem ser exibidos posteriormente nos cinemas próximos a você. A certeza é que estreias estarão disponíveis. Escolha a que for mais apropriada ao seu gosto e tenha um bom filme! Não esqueça de desligar o celular...

quinta-feira, 10 de março de 2011

Mostra do Filme Livre começa hoje no Rio

Redação



10 anos de cinema independente. É o que está comemorando a Mostra do Filme Livre, que será realizada no Rio de Janeiro e em São Paulo. Hoje, a edição carioca terá a sua abertura, às 19h, e prossegue até o próximo dia 31. Na capital paulistana, o público poderá conferir a mostra a partir de amanhã. Em São Paulo, o evento acontece também até o dia 31.


São 333 produções de diferentes formatos e gêneros, oriundos de diversos Estados. O único pré-requisito é que o filme seja independente, feitos com um único incentivo: a garra de produtores e diretores que tenham uma linguagem inovadora.

Mentes jovens, que geralmente não têm espaço para exibir as suas ideias, encontram na Mostra do Filme Livre um local para trocar experiências e obter novos conhecimentos, além de ter a oportunidade de ver o seu trabalho na grande tela.  


Confira outras informações no site www.mostralivre.com. 



quarta-feira, 2 de março de 2011

Robocop vai receber suborno ou lutar contra a corrupção?

Carlos Baumgarten


Quem conhece a trajetória do policial, metade humano, metade máquina, sucesso do final dos anos 80, sabe que Robocop locomove-se como uma máquina, mas sente como um homem. Ou seja, apesar de ser um exemplar cumpridor da lei, inclusive forçando o cumprimento, ele também pode se deixar levar pelas “emoções humanas”.

José Padilha, segundo tem se divulgado na imprensa, estaria sendo sondado pela MGM para dirigir um remake de Robocop. De acordo com informações de sites especializados, os executivos teriam ficado impressionados com o trabalho de Padilha, especialmente em Tropa de Elite, obviamente, temática que interessa aos produtores.

A assessoria do cineasta brasileiro negou, conforme matéria no UOL, que haveria algo de concreto sobre Robocop, ainda. Já há uma especulação que esse “ainda”  seja um informação de entrelinhas, que significaria: “as negociações existem, mas ainda estão em andamento e não há nada fechado”.

Seja lá o que esteja acontecendo, a ideia de um diretor brasileiro dirigindo o remake de um grande sucesso hollywoodiano dos 80 é positiva. Robocop: O Policial do Futuro (1987) foi dirigido pelo holandês Paul Verhoeven. Teve duas sequências, uma em 90 e outra em 92, que puseram fim à franquia cinematográfica.

A temática voltada para a corrupção policial, muito bem abordada por Padilha em seus Tropas, pode ser bem aproveitada em um filme como Robocop. Para quem não conhece, não se trata exatamente de um filme de super-herói. Tudo gira em torno de uma Detroit, em um futuro próximo, decadente, dominada pelo crime e pela corrupção política e das grandes corporações.

É uma grande corporação, inclusive, que quer terceirizar a polícia de Detroit e lança a ideia dos policiais robôs. Um dos projetos é o próprio Robocop. Com um violência crua, Verhoeven construiu um ambiente dominado pela hipocrisia e pela ganância. Aparentemente incorruptível, Robocop passa a combater o crime nas ruas e dentro da corporação.

Uma visão mais moderna e com o tom de um brasileiro, povo que vive em constante clima de desordem política, com a corrupção escancarada, o resultado seria, no mínimo, interessante. Pelo menos no Brasil, Padilha enche as salas de cinema, o que pode agradar os executivos. Falta esperar o desfecho dessas negociações e vamos ver se o Robocop vai receber suborno ou vai, de fato, combater a corrupção.  Ou quem sabe ainda se ele integrará a tropa de elite da polícia do Rio de Janeiro.