segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

O Discurso do Rei confirma favoritismo no Oscar

Carlos Baumgarten


A maré parecia estar do lado de David Fincher e o seu A Rede Social até o Globo de Ouro, quando os prêmios dos Sindicatos, que dão mais peso às previsões do Oscar, mostraram uma mudança de atividade. O Discurso do Rei passou a monopolizar prêmios importantes, como os dos Sindicatos de Diretores, Atores e Produtores. Além disso, tinha o maior número de indicações ao Oscar: 12.

Tudo isso, aliado à qualidade do filme, devida, sem dúvida, em grande parte, ao desempenho da dupla Colin Firth e Geoffrey Rush, fez com que O Discurso do Rei saísse consagrado do Oscar 2011, cuja cerimônia aconteceu na noite deste domingo, em Los Angeles, levando quatro importantes estatuetas: melhor filme, melhor diretor, melhor ator e melhor roteiro original.

Alguns críticos esperavam até um prêmio dividido, como um melhor filme para O Discurso do Rei e melhor diretor para David Fincher, mas a Academia escancarou a preferência pelo trabalho de Tom Hopper, que conta a história de superação do rei George VI. De forma equilibrada, A Rede Social levou três prêmios: melhor trilha sonora original, melhor edição e melhor roteiro adaptado.

A Origem também não passou em branco, e arrebatou quatro estatuetas em categorias técnicas: melhor efeitos visuais, melhor fotografia, melhor edição de som e melhor mixagem de som.

A vitória de Natalie Portman na categoria melhor atriz também não foi nenhuma surpresa. Seu desempenho em Cisne Negro é, de fato, o ápice de sua carreira. Esse foi o único prêmio conquistado pelo longa de Darren Arronsfsky, que, na noite anterior, havia sido consagrado no Independent Spirit, festival de cinema independente de Santa Mônica, levando prêmios de melhor filme, melhor diretor e, obviamente, melhor atriz.

O thriller psicológico de uma bailarina à beira de um ataque de nervos teve orçamento modesto para os padrões de Hollywood (US$ 13 milhões), traz uma temática bem distante do que os membros da Academia pareciam tender a premiar este ano. Porém, não deixaram de reconhecer o empenho de Natalie Portman, bem como o seu talento nato, em Cisne Negro, que disputava a estatueta com a veterana e membro da Academia Annette Benning (por Minhas Mães e Meus Pais).  

Concorrendo na categoria de melhor filme, Toy Story 3 arrebatou a esperada estatueta de melhor animação e, também, a de melhor canção. O final da saga dos brinquedos mais famosos do mundo agradou críticos e público em geral.

A noite, portanto, que parecia estar polarizada em duas produções, acabou sendo equilibrada e justa, diante da tendência da Academia. Porém, nem tudo são flores. Os novos queridinhos de Hollywood, Anne Hathaway e James Franco, deixaram a desejar como mestres de cerimônia. Eles, sem dúvida, foram o ponto fraco da festa, afinal, criou-se uma grande expectativa, pois seriam estes os primeiros apresentadores jovens a conduzir uma cerimônia do Oscar.

A escolha de Franco e Hathaway faz parte de um processo da Academia em recuperar a audiência mais jovem, que foi se perdendo ao longo dos anos. Mas, pode causar o efeito inverso. Sorte que, durante pouco mais de uma década, eles enxugaram, e muito, a premiação, que hoje tem uma duração de, aproximadamente, duas horas e meia. James Franco, diga-se de passagem, estava indicado ao Oscar de melhor ator, por sua performance em 127 Horas.

Confira a lista de premiados:

Melhor Direção de Arte
Alice no País das Maravilhas

Melhor Fotografia
 A Origem

Melhor Atriz Coadjuvante
Melissa Leo, de O Vencedor

Melhor Curta de Animação
 The Lost Thing

Melhor Longa de Animação
 Toy Story 3

Melhor Roteiro Adaptado
A Rede Social

Melhor Roteiro Original
 O Discurso do Rei

Melhor Filme Estrangeiro
Em Um Mundo Melhor

Melhor Ator Coadjuvante
Christian Bale, de O Vencedor

Melhor Trilha Original
A Rede Social

Melhor Mixagem de Som
A Origem

Melhor Edição de Som
A Origem

Melhor Maquiagem
 O Lobisomem

Melhor Figurino
 Alice no País das Maravilhas

Melhor Documentário de Curta Metragem
 Strangers No More

Melhor Documentário de Longa Metragem
 God Of Love

Melhor Documentário
 Trabalho Interno

Melhor Efeitos Visuais
A Origem

Melhor Edição
A Rede Social

Melhor Canção Original
Toy Story 3

Melhor Direção
Tom Hooper, por O Discurso do Rei

Melhor Ator
Colin Firth, por O Discurso do Rei

Melhor Atriz
Natalie Portman, por Cisne Negro

Melhor Filme
O Discurso do Rei 

Nenhum comentário:

Postar um comentário