sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Terror e suspense são destaques da semana



Carlos Baumgarten



A volta de Wes Craven e um suspense tensionado ao nível Hitchcock são duas boas pedidas para os fãs do gênero  nesta sexta-feira de estreias. A Sétima Alma, terror conduzido pelo diretor de A Hora do Pesadelo (1984) e Pânico (1996), conta a história de um serial killer condenado à morte que reencarna em um jovem de sua cidade, onde vai cumprir um juramento: matar sete crianças que nasceram no dia em que ele morreu.

Mas, o mérito da semana deve ficar com a produção espanhola Enterrado Vivo, por uma série de questões. Primeiro, uma curiosidade: foram 17 dias de gravação, um orçamento mínimo e um cenário que se resume a caixotes, representando a situação na qual a personagem principal da fita, vivido por Ryan Reynolds, se encontra. Reynolds é um americano, motorista de caminhão no Iraque, que, um dia, acorda, sem saber como, enterrado vivo dentro de um caixão de madeira.

A partir deste ponto, começa uma corrida contra o tempo pela sobrevivência. São 95 minutos, apenas uma personagem e interligações com as novas tecnologias, de forma que, além de Reynolds, temos apenas vozes de secretárias eletrônicas, atendentes de telemarketing e um vídeo no Youtube revelador. Tudo isso, graças aos recursos disponibilizados que a personagem encontra com ele dentro do caixão. A tensão é garantida do início ao fim. O filme dirigido pelo espanhol Rodrigo Cortés foi, inclusive, premiado, no National Board of Review.

Outra estreia é mais um filme da franquia As Crônicas de Narnia. Desta vez com o subtítulo de A Viagem do Pelegrino da Alvorada, as personagens do longa, Lúcia, Edmundo e Eustáquio, voltam ao reino de Narnia, onde se encontram com o antigo príncipe e agora rei Caspian. A missão deles, dessa vez,  é encontrar os Sete Lordes Desaparecidos de Telmar.

Um curta-metragem brasileiro poderá ser conferido em algumas salas. Meu Mundo em Perigo, dirigido por José Eduardo Belmonte, conta, em 10 minutos, a história de Elias, um pai desesperado que perde a guarda de seu filho para a ex-mulher, uma viciada em recuperação. Diante do tormento, ele acaba por causar a morte de um homem em um acidente de trânsito e se esconde em um hotel decadente do Centro de São Paulo, onde conhece uma garota que também está em fuga de seus problemas familiares. O curta ganhou o prêmio de melhor filme pela crítica no Festival de Brasília.

A comédia romântica Amor por Acaso, produção dirigida por Márcio Garcia (mas, curiosamente, não é brasileira), traz Juliana Paes e Dean Cain (mais conhecido por seu papel de Super-Homem no seriado Lois & Clark, em meados dos anos 90) como o casal de uma trama bem “água com açúcar”. Paes trabalha em uma loja de departamento no Rio de Janeiro e descobre que herdeira de um vinícola na California. Para ajudar o irmão, que é envolvido com a máfia (ou o tráfico, não sei ao certo), ela vai em busca da herança para quitar as dívidas. Nesse meio do caminho, ela se encontra com o seu par romântico (Cain).

Agora, é só escolher a sessão e admirar um bom filme! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário