sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Senna estreia nos cinemas.

Carlos Baumgarten


Para alguns, um playboy que curtia carros velozes. Para outros, um exemplo de pessoa dentro e fora das pistas. Esse era Ayrton Senna, piloto consagrado na maior categoria do automobilismo mundial, a Fórmula 1, tendo conquistado três campeonatos. A carreira de Senna acabou precocemente, com a sua morte durante o GP de San Marino, em 1994. O retrato para os fãs do piloto foi a de um grande profissional com postura de campeão e, neste ano, o atleta estaria completando 50 anos.  

E é com o tom mais positivo de sua trajetória que o documentário Senna, dirigido por Asif Kapadia, estreia nas salas de cinema de todo o Brasil nesta sexta-feira, às vésperas da última corrida da temporada 2010 de Fórmula 1. Infelizmente, apesar de ser um ídolo no Brasil para muitas pessoas, inclusive para aquelas que não são fãs de automobilismo, o documentário ficou nas mãos de uma produtora britânica, o que não tira os méritos de seus realizadores, mas nos faz refletir sobre a falta de pulso ou interesse de nosso cinema em resguardar uma história genuinamente brasileira.   

Outros documentários preenchem as nossas salas a partir deste fim de semana. Mais um filme da safra espírita do cinema brasileiro, especificamente do médium Chico Xavier, desta vez em formato documental, mostra as famílias que receberam cartas psicografadas pelo líder religioso. Trata-se do longa As Cartas Psicografadas por Chico Xavier, dirigido por Cristiana Grumbach. Chega às telas também o documentário Terras, que retrata o cotidiano dos habitantes que vivem na fronteira tríplice, entre Brasil, Colômbia e Peru.

Uma co-produção entre França, Argentina e Inglaterra é um dos destaques dos espaços de ficção entre as estreias desta semana. Destinos Cruzados conta a história de um homem e uma mulher, de culturas e crenças diferentes, mas com o objetivo em comum de encontrar seus respectivos filhos, que são estudantes em Londres e estão sem notícias deles, desde os atentados a um metrô na capital britânica, em julho de 2005.

O premiado filme canadense Eu Matei a Minha Mãe, escrito, dirigido e estrelado por Xavier Dolan, conta a história de um jovem de 17 anos que despreza a mãe, por todas as suas atitudes. Assim, começa a desenvolver uma relação de amor e ódio fora de seu controle, vagando pela sua adolescência e descobrindo valores e experiências novas.

Um filme com uma temática envolvente, e repleto de grandes nomes do cinema hollywoodiano, como Julianne Moore, Annete Bening e Mark Ruffalo, é a comédia com ares de drama Minhas Mães e Meu Pai. O longa narra a história de dois irmãos adolescentes, filhos de um casal homossexual, concebidos através de inseminação. Criado pelas duas mães, ao completar a maior idade, os dois resolvem embarcar em uma aventura em busca do pai biológico, que, ao ser encontrado, muda o cotidiano da família.

O comediante Bruno Mazzeo, da Rede Globo, é um dos roteiristas de Muita Calma Nessa Hora, dirigido por Felipe Joffily. Trata-se da história de três amigas em busca de novos caminhos.

Por fim, a adaptação da HQ Trasmetropolitan, Planetary, de autoria de Warren Ellis, traz nomes como Bruce Willis e Morgan Freeman em um filme recheado de ação e bom humor, ingredientes que muita agradam fãs do gênero. Acompanhamos a história de um ex-agente da CIA que se torna alvo da mesma numa operação chamada queima de arquivo.

Filmes para todos os gostos. Basta escolher o que mais convém ao seu estilo. Bom feriado e boa sessão!

Nenhum comentário:

Postar um comentário