quarta-feira, 3 de novembro de 2010

MGM pede concordata


Redação

A crise chegou também aos estúdios da tradicional Metro Goldwyn Mayer, conhecido mais pela sigla MGM. Com um catálogo que inclui mais de 4 mil títulos, incluindo a franquia de James Bond (desde os primórdios), a empresa pediu concordata, nesta quarta-feira, segundo informações publicadas na Folha On Line.

De acordo com o texto, o investidor bilionário Carl Icahn teria chegado a um acordo com a MGM e seus credores antes do pedido de proteção contra falência para ajudar o estúdio. A MGM deve adotar mudanças na governança corporativa e Icahn terá o direito de apontar um diretor para o conselho do estúdio quando este sair da concordata.

Fundado em 1924, o MGM é um dos mais tradicionais estúdios de Hollywood. O famoso leão que ruge na tela antes da rodagem dos filmes virou marca registrada da empresa, que possui em sua lista de sucessos títulos como Bem-Hur (1959), vencedor de 11 Oscars, recorde histórico, igualado apenas por Titanic (1997) e O Senhor dos Anéis – O Retorno do Rei (2003).

Projetos como o próximo filme de James Bond e dois filmes baseados no livro O Hobbit foram suspensos. Além disso, um filme planejado do seriado cômico dos anos 50 Os Três Patetas e um remake de Robocop também ficarão no aguardo de tempos melhores para o estúdio MGM. 


A MGM é apenas mais um dos estúdios hollywoodianos atingidos pela crise. No início do ano, a Miramax, responável por sucessos como Pulp Fiction (1995), de Quentin Tarantino, anunciou um encerramento de suas atividades. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário